Processos gráficos é um blog que tem por objetivo compartilhar informações sobre produção gráfica, design gráfico, cursos e eventos.
Mostrando postagens com marcador pós-impressão. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador pós-impressão. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Impressos com faca especial

Como eu já disse num post anterior, a produção de um projeto impresso compreende processos de pré-impressão, impressão e pós-impressão (ou acabamento).

O corte finaliza um impresso e confere a sua forma final. Ele pode ser: linear, ou refile é realizado através de uma guilhotina), no sentido horizontal, vertical ou inclinado; ou ainda por meio de facas especiais, assumindo qualquer formato desejado.

As facas especiais são lâminas de metal fixadas sobre uma base (normalmente de madeira), utilizadas principalmente na confecção de embalagens e rótulos. Outros impressos como envelopes, pastas, cartões de visita também podem usar esse recurso.


Exemplo de faca especial


De acordo com a lâmina utilizada, as facas podem: 
- cortar;
- fazer meio-corte (usada em adesivos que são posteriormente destacados de uma folha);
- vincar (lâminas com corte arredondado. Auxiliam a dobra de determinados impressos, principalmente aqueles com papel de alta gramatura).
- picotar / serrilhar

Numa mesma faca é possível montar lâminas de corte e vinco, simultaneamente. Isso varia de acordo com cada impresso. 


Uma faca pode ter diversas "bocas" de corte. Ou seja, podem ser cortados 1, 2, 4, 6, 10.... impressos por vez, de acordo com o seu formato, questões operacionais, tiragem etc. Essa definição fica a cargo da gráfica, pois ela planeja quantos impressos serão produzidos por vez.


Atualmente as facas são produzidas por processo automatizado. Tenho recebido desenhos de facas que são produzidos em softwares de ilustração vetorial (ex. Illustrator, Corel Draw...) 


DICAS PARA IMPRESSOS COM FACA ESPEClAL

1 - Qual é o formato do impresso? Defina isso primeiro!;


2 - Sangrias: vale mesmo raciocínio para impressos que não usam faca (deixar, no mínimo 3mm);


3 - Deixe indicado no seu arquivo o desenho da faca;


4 - Margem mínima de 3mm em relação à faca;


Detalhes na geração do arquivo eletrônico: página no formato acabado, sangria, indicação do desenho da faca e margens são pontos imprescindíveis! 

5 - Confira sempre o desenho da faca, colando-o sobre o seu layout 


No exemplo abaixo, um rótulo adesivo, foi utilizada uma faca de meio-corte. Após a impressão, os impressos são "destacados" da folha....


Depois de impresso, o impresso recebe o meio-corte.


... para serem colados sobre o plástico que envolverá o produto. 


Detalhe do rótulo no ponto de venda


Ah, se o seu projeto prevê corte e vinco, é conveniente indicar no arquivo qual parte corresponde ao corte e qual ao vinco! Alguns arquivos que recebo diferenciam o corte e o vinco pelo tipo de linha: linhas contínuas para corte e linhas serrilhadas para vinco....

domingo, 21 de novembro de 2010

Acabamentos e seu planejamento

Como vimos anteriormente, a confecção de uma peça gráfica, seja ela qual for, envolve três etapas distintas de produção: a pré-impressão, impressão e a pós impressão.

Na pós-impressão, ou simplesmente acabamento, como o próprio nome diz, são etapas que acontecem após a impressão de um projeto. Segundo Mario Carramillo Neto (1997, p. 159), o acabamento pode ser definido como “operações complementares visando a finalização do impresso”. Isso quer dizer que durante o acabamento o impresso adquire a sua forma final, ou seja, ele toma a forma e é finalizado como será entregue ao cliente.

Nesse momento o impresso poderá (ou não) receber um corte especial, uma laminação fosca, um verniz localizado, dobras, grampos, enfim, uma grande variedade de opções a serem tomadas de acordo com o efeito final a ser produzido. A decisão quanto ao tipo de acabamento utilizado na peça, deve ser tomada por quem a desenvolve (a agência, o designer gráfico, o publicitário...) e é desejável que esses profissionais tenham contato com a(s) empresa(s) responsável(is) pela produção do material a fim de que se discutam as questões técnicas desses processos, os custos, o tempo de produção e os resultados esperados com sua aplicação.

O acabamento enobrece e valoriza a peça impressa. Sua escolha pode auxiliar a enfatizar um conceito criativo, aumentar a resistência de um projeto, proteger a impressão, torná-lo mais atraente e, consequentemente, impactar positivamente quem o recebe. Por isso, durante a fase das ideias, da elaboração dos roughs e antes mesmo da impressão de um material, é importante pensar cuidadosamente a respeito do planejamento de pós-impressão.

São exemplos de acabamento

1 - Cortes simples, lineares

2 - Corte especial

3 - Verniz total / localizado / odorizado / texturizado

4 - Hot stamping

5 - Dobras

6 - Grampos

7 - Relevo seco

8 - Relevo americano

Ainda quanto à escolha dos acabamentos, Conceição Barbosa (2009, p. 124) comenta que “(...) é aconselhável pensar e testar os acabamentos antes de a peça ser impressa, de forma a antecipar eventuais problemas. Quando se trata de pensar nos acabamentos, é aconselhável fazê-lo de trás para a frente e não ao contrário, prevenindo antes aquilo que, depois, pode ser impossível remediar.”

Diante disso, consideramos como relevantes as seguintes etapas para o acabamento de um projeto:

1 - Custo de produção. Por exemplo: pensemos numa peça simples, um cartão de visitas. Um cartão que contenha laminação fosca frente e verso + verniz localizado deverá ter um custo de produção maior se comparado com uma peça com as mesmas características mas não conte com esses acabamentos.

2 - Tempo de produção. Os acabamentos são operações complementares de produção. Muitos deles podem envolver etapas manuais e, consequentemente, sua realização pode tomar muitas horas para a sua completa realização.

3 – Elaboração de um boneco. É prudente produzir um boneco, ainda que sem impressão, no mesmo tamanho, quantidade de folhas, dobras etc para confirmar se aquilo que o designer está planejando em termos de acabamento realmente funcionará na prática. Após verificado (e aprovado) o boneco, pode-se proceder com mais segurança para a cotação e posterior produção do projeto.

Entendemos que o acabamento é uma etapa muito importante (a mais importante, talvez) para a confecção de um produto gráfico, pois valoriza e enobrece um projeto impresso. No entanto, o acabamento deve ser pensado e planejado não somente de acordo com os objetivos de comunicação esperados para o projeto, mas devem ter como base os custos envolvidos (e a verba disponível pelo cliente para a confecção da peça), o tempo de produção envolvido e as características físicas do suporte de impressão.